quinta-feira, julho 06, 2017

O mundo fantástico dos Lagos Plitvice (como visitar)

Quero falar-te do Parque Nacional dos Lagos Plitvice, provavelmente o encontro mais bonito do mundo entre montanhas, bosques, lagos e cascatas. Fica no interior da Croácia e, para o visitar, temos de andar a pé vários quilómetros, porque o parque é bastante grande, aliás é o maior do país.

Logo à entrada, vemos um mapa que nos mostra que o parque está dividido em duas partes: os Lagos Superiores (doze lagos) e os Lagos Inferiores (quatro lagos). No mapa, estão também assinalados as duas entradas no parque e os sete trilhos existentes, que vão das letras “A” a “K” e duram de duas a oito horas.

Visita aos Lagos Superiores



Para visitar os Lagos Superiores, compramos os bilhetes na Entrada Nº 2 e vamos seguir o trilho “E” (2 a 3 horas). Se olhares para a linha laranja no mapa, vais ver que, primeiro, descemos por um bosque até a um grande lago. Aí temos de apanhar um barco elétrico para atravessar para a outra margem (do ponto P1 para o P2). Do outro lado, a floresta continua e começa o deslumbramento enquanto caminhamos sobre passadiços de madeira que atravessam lagos de diferentes tons de azul e verde. Olhando para o fundo, vemos plantas aquáticas, troncos caídos e peixinhos a nadar nas águas transparentes. Se prestares atenção, também vais ver umas borboletas azuis a voar e a pousar de vez em quando perto de ti. De resto, tudo à nossa volta é verdejante, ou melhor, há uma pluralidade de tons de verde por causa de todas as árvores, arbustos e plantas que vivem no parque. É tudo tão bonito que emociona, por isso compreendemos por que é que um senhor japonês com quem nos cruzamos tem tantas lágrimas nos olhos.

Os passadiços continuam a serpentear e tu a caminhar de lago em lago. Na realidade, os lagos estão ligados entre si - correndo dos superiores para os inferiores - através de pequenas cascatas que parecem nascer da vegetação. Não as vemos mas, por baixo, há pequenas barreiras de pedra depositadas pela água ao longo de milhares de anos, criando assim presas naturais e originando a formação dessas cascatas e bacias em socalcos.

Cerca de duas horas e meia depois, chegamos ao lago mais elevado. Olhando novamente para o mapa, repara no ponto “St 4”. Aí apanhamos um autocarro para o ponto “St 2” e depois é atravessar outra vez - mas mais felizes - a floresta de regresso à Entrada Nº 2, onde comprámos o bilhete e estacionámos o carro.

Visita aos Lagos Inferiores



Bem cedo na manhã seguinte, voltamos ao Parque Nacional dos Lagos Plitvice para ver os quatro Lagos Inferiores e “Veliki Slap”, a maior cascata aí existente. Vamos agora seguir o trilho “B” (3 a 4 horas).

Desta vez, começamos a nossa caminhada na Entrada Nº 1, donde rapidamente chegamos à grande queda de água. É um dos locais preferidos dos muitos visitantes que todos os dias percorrem o parque. Sentámo-nos um pouco para descansar e observar as pessoas à nossa volta. Há turistas de várias nacionalidades a tirar fotos e “selfies”, alguns tão excitados que sobem a uma rocha alta. Não é fácil: abraçam a pedra, sobem uma perna, tentam com a outra, mais um esforço e alguns conseguem, abrindo os braços vitoriosos lá em cima, menos uma senhora que escorrega e cai ao chão. Queixa-se um pouco, ninguém lhe liga, sacode os joelhos e aí está ela: a ensaiar mais uma pose, pronta para mais uma “selfie”.

Nessa altura, regressamos aos passadiços que ora contornam e cruzam os lagos, ora passam por cima de riachos e cascatas, pondo-nos no centro de todas as sensações. Mais uma vez, surpreendem-nos não só a sequência de lagos, cascatas e bosques, mas também as diferentes cores da água, variando ao longo do dia conforme a incidência da luz do sol.

Além das plataformas de madeira, também andamos por caminhos térreos nas margens até chegarmos a um dos lagos maiores. Agora é melhor voltares a olhar para o mapa: no ponto “P3” vamos de barco para o “P2” e depois noutro barco até ao ponto “P1”. Aí fazemos uma breve caminhada até à paragem “St 2” onde apanhamos um autocarro para “St 1”. Como vês, já estamos bastante perto da Entrada Nº 1, onde iniciámos o passeio. Só falta andar mais um pouco, percorrendo aquele que é um dos troços mais bonitos do parque nacional, onde vemos, pela primeira vez, os lagos e as cascatas de cima, no meio de um vale escarpado e verdejante. Nesse momento, vais querer guardar para sempre essa imagem dentro de ti.
















GUIA PRÁTICO

Declarado Património da Humanidade em 1979, o Parque Nacional dos Lagos Plitvice é o maior - e mais antigo - parque nacional da Croácia e a atração turística mais popular do país.

Localização

Os lagos ficam no interior da Croácia, entre a capital Zagreb e a cidade de Zadar, na costa. São cerca de duas horas de carro para cada lado.

Entrada

Existem duas entradas no parque:
  • Entrada Nº 1: mais próxima dos Lagos Inferiores;
  • Entrada Nº 2: mais próxima dos Lagos Superiores.

Estacionamento

Há dois parques de estacionamento (pagos) junto a cada uma das entradas.

Horários

O parque está aberto todo o ano e, no verão, durante mais horas (normalmente entre as 07h00 e as 20h00). Os horários de funcionamento dos autocarros e dos barcos são ligeiramente diferentes desse horário.

É importante consultar todos os horários no site oficial do parque para planear devidamente a visita, prestando especial atenção às horas dos últimos autocarros e barcos.

Preços (em Junho de 2017)

  • Estacionamento: 7 kunas (1 euro) por hora;
  • Entrada no parque (bilhete de 2 dias): 180 kunas (25 euros);
  • As deslocações de autocarro e de barco estão incluídas no preço do bilhete.

Os bilhetes vendem-se tanto na Entrada Nº 1 como na Nº 2. Mais uma vez, convém consultar os preços atualizados no site oficial.














Trilhos sinalizados

Há 7 trilhos no parque: uns percorrem os Lagos Superiores, outros os Inferiores, mas também há trilhos mais longos que percorrem todos os lagos, podendo durar de 4 a 6 horas ou de 6 a 8, ideais para quem quer ver tudo e só tem um dia disponível.

Algumas recomendações

  • No verão, o parque é visitado por um grande número de pessoas. Para evitar as multidões e não ter de seguir em fila indiana nos passadiços, o melhor é chegar de manhã bem cedo ou depois das 16h30;
  • Se possível, fique alojado no parque ou nas proximidades e divida a visita em dois dias: uma tarde para explorar os Lagos Superiores e uma manhã para visitar os Inferiores. Assim, a visita também se tornará menos cansativa.

O que levar

  • Alguma comida e água;
  • Um piquenique (caso planeie passar o dia no parque, já que há poucos cafés/restaurantes e os preços são caros);
  • Calçado confortável;
  • Uma mochila pequena (evite ir muito carregado).

Onde dormir

  • É possível ficar alojado dentro do próprio parque (há três hotéis perto da Entrada Nº 2);
  • Também há alojamento nas redondezas, a preços mais económicos;
  • Existem ainda dois parques de campismo: o Camp Korana (a 7 km da Entrada Nº 1) e o Camp Borje (a 15 km da Entrada Nº 2).

Onde ficámos

Tourist Center Marko. Um hotel com pequeno-almoço incluído e restaurante próprio, situado relativamente perto de carro.

Website oficial

Veja também

1 comentário:

  1. Olá,
    Que sitio lindo e que fotografias fantásticas!
    Muitos parabéns pelo blog.
    Um beijinho,
    Sofia
    http://laprincipessa.pt/giveaway-agenda-mr-wonderful-2017-2018-584958

    ResponderEliminar