quarta-feira, outubro 26, 2016

O que fazer em Melgaço (por quem lá mora)

Quando penso em Melgaço, penso no ponto mais a norte de Portugal. Penso no rio Minho, que nos separa da Galiza. Penso numa região verdejante, tipicamente minhota, com pequenos campos cheios de vinhas, onde se produz o famoso Alvarinho. Penso em pessoas simpáticas, que soltam palavrões sem se aperceberem. Penso em pratos cheios de comida caseira. Penso, por fim, no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), de que tanto gostamos e onde já fomos várias vezes.

Por ocasião do evento “Pegada Zero – I Jornadas de Turismo de Natureza", fomos convidados a (re)visitar o concelho de Melgaço durante um fim-de-semana. Não sendo uma zona desconhecida para nós, acreditamos que a perspetiva das pessoas da terra é sempre mais completa do que a de visitantes como nós. Por isso, voltámos para participar nas atividades recomendadas por quem lá mora, nomeadamente:

Coisas imperdíveis para fazer em Melgaço

  • Visita às Termas de Melgaço - Medical Spa;
  • Rafting no rio Minho, pela empresa Melgaço White Water;
  • Visita à Quinta de Soalheiro e prova de alguns dos mais aclamados vinhos Alvarinho;
  • Visita à Quinta de Folga, outro projeto dos donos da Quinta de Soalheiro, e prova de fumeiro de porco bísaro, feito segundo receitas antigas e de forma artesanal - é necessária marcação prévia para visitar ambas as quintas;
  • Percurso pedestre “Trilho das Pesqueiras”;
  • Observação da Cabra Montês, uma espécie rara em Portugal, que só existe no Parque Nacional da Peneda-Gerês;
  • Canyoning no Rio Laboreiro, pela empresa Montes de Laboreiro;
  • Passeio de jipe no Planalto de Castro Laboreiro;
  • Subida ao Castelo de Castro Laboreiro;
  • Descoberta das pontes romanas;
  • Passeio de carro entre Castro Laboreiro, Lamas de Mouro e o Santuário da Peneda.

Infelizmente, porque só tínhamos dois dias disponíveis e num deles choveu, não pudemos realizar todas as atividades propostas. Por isso, ficamos com (ainda mais) vontade de regressar na primavera, sobretudo para ver o Planalto de Castro Laboreiro florido. Mesmo assim, a forma calorosa com que fomos recebidos e a simpatia das pessoas à volta da mesa, com a chuva a cair na Serra da Peneda do lado de fora da janela, compensaram tudo.




















Onde comemos

  • Restaurantes Miracastro e Miradouro do Castelo, em Castro Laboreiro
  • O Brandeiro, na Branda da Aveleira

Todos os restaurantes são bons e proporcionam vistas fantásticas. As especialidades regionais são cabrito do monte assado no forno, posta de vaca cachena e, como sobremesa, bucho doce com mel, originalmente feito dentro do estômago do porco, após a matança. No final da refeição, é costume oferecerem uns licores de ervas ótimos.

Onde dormimos


"Pegada Zero – I Jornadas de Turismo de Natureza – PNPG – Melgaço 2016" decorreu de 20 a 23 de Outubro de 2016, em Melgaço. O evento, organizado pela Câmara Municipal, foi o resultado de sinergias entre Empresas de Animação, Restauração, Alojamento e entre a Comunidade local, em prol da divulgação do património natural da região.

2 comentários:

  1. Boa tarde! Sigo com muita regularidade o vosso blogue, pois os comentários, sugestões e belíssimas imagens ajudam a pensar em possíveis viagens. Mas aproveitava para vos perguntar acerca de uma questão mais prática e comezinha�� qual a marca das botas da Sofia na viagem a Melgaço? Obrigada e bons passeios��

    ResponderEliminar
  2. Olá Marina. Obrigada por nos acompanhar desse lado :) As botas são umas Lowa Renegade. Uso-as sobretudo no inverno, qd preciso de caminhar num piso difícil, "todo-o-terreno". Boas viagens e caminhadas!

    ResponderEliminar