quarta-feira, setembro 07, 2016

Mar Morto em Portugal

Costumo passar todos os anos por Castro Marim, no Algarve. Pela janela do carro, revejo o seu castelo cor-de-terra, as casas brancas, a ponte que atravessa o Guadiana, bem como a Reserva Natural do Sapal, entre Castro Marim e Vila Real de Santo António, onde existem várias salinas.

Entrei numa delas este ano. A água estava morna. Primeiro avancei com um pé, que logo se enterrou no fundo, mole e viscoso. Sabia que era argila, por isso avancei com o outro, tentando manter o equilíbrio. Se os molhasse, os olhos arder-me-iam devido à elevada concentração de sal existente na água. Quando relaxei as pernas, os joelhos saltaram-me à superfície. Estavam a flutuar e, logo a seguir, todo o meu corpo (de barriga para cima) boiava como se estivesse no Mar Morto, em Israel. Sorri.

A seguir foi a vez do Paulo. Diverti-me a observá-lo a entrar na água, apreensivo e descoordenado, até ele (me) sorrir também. Como já era tarde, metade da salina estava à sombra. Colocámos uma bóia para apoiar a cabeça e ficámos a boiar durante meia-hora, o tempo recomendado para um banho flutuante.

Esta é a primeira parte do tratamento oferecido pelo “spa natural” de Castro Marim. A segunda parte consiste em cobrir o corpo todo de argila e deixá-lo a secar ao sol durante vinte minutos. No fim, volta-se à salina para limpar a pele, devendo a do rosto ser lavada com água doce por causa dos olhos. Explicam-nos tudo isto à chegada ao local, assim como os benefícios dos sais minerais e da argila para a pele e para o relaxamento do corpo.

É verdade que costumo passar todos os anos por Castro Marim mas, mesmo assim e por mais que imagine, a vida continua a surpreender-me.







Guia Prático

Como chegar à Salina da Barquinha

Na estrada que vai de Vila Real de Santo António para Castro Marim, mesmo antes de se entrar na povoação, há um desvio à direita. Seguindo pelo caminho de terra, chega-se à piscina-salina.

Infraestruturas

Além de um bar de apoio, existem algumas zonas de estar ao ar livre. Há ainda uma casa de banho, um pequeno balneário para trocar de roupa e duches exteriores para lavar o corpo no final. Sem luxos.

O que levar

Fato de banho, chinelos e toalha (poderá alugar uma por 50 cêntimos).

Horário

O spa só funciona no verão: das 10h00 às 19h00. Por causa do calor que normalmente se faz sentir, é aconselhável ir de manhã ou ao final do dia. Nós fomos depois das 18h00, quando a salina começava a ficar à sombra e não havia mais ninguém dentro da água.

Preços

O banho na salina custa 6€ e a aplicação da argila em todo o corpo outros 6€.

Há ainda a possibilidade de (por reserva) fazer massagens, aulas de ioga ou uma visita guiada à Salina da Barquinha, para perceber como se produz o sal artesanal.

Contactos

https://www.facebook.com/aguamae.cm/

Passeio realizado no dia 3 de Setembro de 2016

0 comentários:

Enviar um comentário