quinta-feira, julho 07, 2016

Ilhas Cíes: Um Paraíso Selvagem na Galiza

Fecho os olhos e vejo o mar: um mar azul turquesa cristalino, sem ondas. Sinto-me livre e mergulho a cabeça, numa entrega total do meu corpo a algo maior, que me faz sentir feliz.

Estão dentro da minha cabeça, nas ilhas Cíes, prestes a viajar até uma praia paradisíaca. As primeiras palavras que ouvem dentro de mim são: selvagem, mar, praia, gaivotas, amor, tenda, caminhadas, alegria.

Foi em 2007 que li no jornal “The Guardian” que as Cíes guardavam “a praia mais bonita do mundo” e nem queria acreditar quando constatei que o arquipélago ficava na Galiza, tão perto do meu Minho. Tinha conhecido o Paulo há pouco tempo e convidei-o a ir comigo.

Depois de uma viagem de carro em contra-relógio, conseguimos apanhar o "ferry" em Vigo. Fomos carregadíssimos: a tenda de campismo num dos ombros. Nos outros: sacos-cama, esponjas, alguma roupa e artigos de higiene, lanterna, comida, casacos, eu sei lá.

Felizmente, quando desembarcámos na ilha de O Faro, uma das três que compõem as Cíes, tínhamos à disposição um carrinho-de-mão onde despejámos todos os nossos pertences e depois foi empurrá-lo por um passadiço de madeira até ao parque de campismo onde passámos a noite. De manhã, lembro-me que acordámos com o som de milhares de gaivotas e gargalhadas. Depois, abrimos a tenda e tínhamos o mar à nossa frente.

Nas Cíes, não há hotéis nem carros nem casas. Também não há nada para fazer, a não ser relaxar na praia, nadar e caminhar por vários trilhos assinalados, junto a falésias abruptas ou no meio de pinheiros e de coelhos que brincam connosco às escondidas.

Foi num desses percursos que vimos a praia de Rodas de cima: uma extensa baía de areia branca, no meio de um mar turquesa cristalino, unindo a ilha de O Faro à de Monteagudo. É a praia mais longa e a mais bonita não só do arquipélago como de quase todas as da minha memória.

Apesar de haver mais praias na ilha - selvalgens e tranquilas, algumas delas naturistas - é para a de Rodas que por vezes fujo dos dias maus, recordando-me de como é bom o amor e do bem-estar que senti quando corri na areia branca finíssima e depois mergulhei no mar gelado. Nessas alturas, sei, no fundo de mim, que a vida é boa.




Guia Prático

Situado na Galiza, Espanha, o arquipélago das Cíes é constituído por três ilhas: San Martiño, O Faro e Monteagudo (estas duas últimas unidas pela praia de Rodas). Uma vez que se trata de uma área protegida, integrada no Parque Nacional Ilhas Atlânticas, só é possível visitar as Cíes na Semana Santa e no verão, com uma lotação máxima de 2200 pessoas por dia e de 800 pernoitas no parque de campismo.

Como ir

Chega-se à ilha de O Faro de "ferry", quer a partir de Baiona quer de Vigo. Por causa da lotação limitada, convém comprar os bilhetes com antecedência, nos websites dos seguintes armadores:

Para a ilha de San Martiño, não há transportes públicos, sendo apenas admitidos barcos privados e com autorização.

Onde dormir

Apesar de não haver hotéis nas Cíes, existe um parque de campismo idílico, num pinhal a 50 metros do oceano. Pode-se levar tenda própria ou alugar uma. Neste último caso, é aconselhável reserva no website do Camping Islas Cíes.

Do molhe onde atraca o "ferry" até ao parque de campismo são uns longos 700 metros. Se for um dos primeiros a desembarcar, terá mais hipóteses de ficar com um dos poucos carrinhos-de-mão disponibilizados pelo "camping" para carregar a bagagem.

Onde comer

Na ilha de O Faro, há alguns restaurantes básicos, mas caros. Além disso, o supermercado do parque de campismo é pequeníssimo. Por isso, o melhor será levar consigo alguma comida e bebidas.

Cuidado com as gaivotas

Por fim, convém dizer que nas Cíes reside um grande número de aves marinhas, incluindo a maior colónia do mundo de gaivotas pata-amarela. Muitas nidificam nas falésias e ficam agressivas se nos aproximarmos dos ninhos, o que pode acontecer inadvertidamente.

Fotos: Mar de Ons

Viaje connosco,
seguindo-nos no Facebook.

12 comentários:

  1. As Cies são fantásticas e o melhor é que são aqui mesmo ao lado (especialmente para quem vive no norte de Portugal). Não conhecia essa história da eleição do The Guardian. Obrigado pela partilha.

    ResponderEliminar
  2. Tenho amigos que já aí foram e contam maravilhas. Também gostava de conhecer. A cor das areias e da água convida mesmo. Pena que a água deve ser fria, não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, a água é bastante fria, mas a mim soube-me tão bem, num dia de sol de verão :)

      Eliminar
  3. Pelas fotos parece ser mesmo um pedaço do paraíso! Não tinha ouvido falar ainda dessa região e gostei bastante de conhecer pelo seu artigo. Mais um destino que entrará para minha wishlist de viagem (que só faz crescer!).
    Gostei muito do seu artigo e de ter conhecido seu blog.

    ResponderEliminar
  4. Fantásticas dicas, obrigada! Que paraíso... e aqui tão perto de Portugal! Pode ser que lhes faça uma visita ainda este ano, quem sabe...? :)

    ResponderEliminar
  5. Nao conhecia essas ilhas, mas fiquei encantada com a beleza das praias, e se for a Espanha durante algum momento onde se pode visitar a ilha farei o possível para conhecer esse paraíso!

    ResponderEliminar
  6. Não conhecia esse paraíso, imagina só! Que azul lindo, parece que tem uma paz tão grande aí. Certamente uma alternativa à agitada Barcelona.

    ResponderEliminar
  7. Já estive na Galiza mas não fazia ideia que estas ilhas existiam. Parecem-me fantásticas e lindas. Como quase tudo aquilo que foi nada ou pouco tocado pelo Homem.

    ResponderEliminar
  8. Que lugar paradisíaco! Não sabia que essa era a praia mais linda do mundo, mas parece né?! Preciso de outra vida apenas para conhecer a Europa! Lindo demais.

    ResponderEliminar
  9. Ainda não conheço estas ilhas apesar de ter feito já toda a costa desde Caminha até San Xenxo. A julgar pelas fotos são um local paradisiaco, parabens!

    ResponderEliminar
  10. Wow nem nunca tinha ouvido falar deste pequeno paraíso. São daqueles destinos que queremos ir, e no entanto estão tão perto, e no fim... nem nunca ouvi falar. Incrível. Está sem dúvida na lista de lugares a visitar brevemente. Obrigado pelo "abre olhos".

    ResponderEliminar
  11. É engraçado que nunca tinha ouvido falar deste sítio até ter lido este artigo. E sou do norte de Portugal... Parece muito bom e sem dúvida que vamos tentar visitar assim que possível. Obrigado pela partilha.

    ResponderEliminar