sexta-feira, maio 06, 2016

5 caminhadas (curtas e fáceis) que adorámos fazer no Japão

Além de terem sido os nossos preferidos, estes cinco trilhos estão entre as coisas que mais gostámos de fazer no Japão. São passeios para quem gosta da natureza, para quem se sente bem entre florestas muito antigas. O facto de serem no Japão torna-os ainda mais especiais, porque a natureza é sagrada para o seu povo. Por isso, ao longo do caminho, vêem-se “toriis” (portas de entrada no sagrado feitas de pedra ou madeira); vêem-se cordas de palha de arroz e ziguezagues de papel branco à volta de árvores centenárias; vêem-se leões, raposas ou budas de pedra; vêem-se templos budistas e santuários xintoístas onde as pessoas batem palmas e tocam sinos, rezam e pedem desejos.

1. De Kurama a Kibune (perto de Quioto)

A caminhada entre estas duas localidades é o melhor passeio de meio-dia que se pode fazer a partir de Quioto. Trinta minutos é o tempo que o comboio demorou a transportar-nos da cidade para um mundo à parte, no meio das montanhas e florestas. Se os templos e santuários de Quioto são bonitos mas concorridos, os que encontrámos ao longo deste percurso pelo Monte Kurama são tão simples e tranquilos que conseguimos sentir o verdadeiro espírito do xintoísmo: a reverência pelo poder da natureza. As árvores majestosas, as raízes espantosas de cedros antiquíssimos e o silêncio estão entre as coisas de que mais gostámos neste trilho.

Extensão: 4,5 km
Duração: 2-3 horas
Categoria: linear
Início: estação de comboios de Kurama
Fim: estação de comboios de Kibune
Preço: 300 Yen (2,5 Euros)
Horário: 9:00 às 16:30








2. Fushimi Inari Taisha (Quioto)

Este santuário dedicado a Inari, o deus xintoísta do arroz, é um dos locais mais visitados de Quioto devido aos milhares de “toriis” vermelhos que nele existem. Não é, pois, de admirar que muitas pessoas se queixem da dificuldade de tirar uma foto sem ninguém. Contudo, isso é porque provavelmente não seguiram o túnel de “toriis” até ao fim, ou seja, até ao cimo do Monte Inari. À medida que se sobe, o número de visitantes vai diminuindo ao mesmo tempo que vamos penetrando na floresta sagrada, onde há várias estátuas de raposas (consideradas mensageiras de Inari) e santuários onde as pessoas que não têm posses para doar um grande deixam ficar “toriis” em miniatura.

Extensão: 4 km
Duração: 2-3 horas
Categoria: circular
Ponto de partida e chegada: Fushimi Inari Taisha (santuário principal)
Horário: sempre aberto
Preço: gratuito










3. Cemitério Okunoin (Koyasan)

Fizemos este trilho duas vezes, tal foi o fascínio que provocou em nós: uma ao anoitecer, à luz de centenas de lanternas; outra de madrugada, quando os raios de sol por entre as árvores tornaram tudo ainda mais deslumbrante. São 2 km por uma floresta com milhares de túmulos, "toriis", "stupas" e estátuas budistas até ao mausoléu de Kobo Daishi (também conhecido como Kukai), um dos mais venerados monges budistas. O templo das lanternas em frente ao mausoléu é o mais bonito que vimos no Japão.

Extensão: 2 km
Duração: 1 hora
Categoria: linear
Início: Ponte Ichinohashi
Fim: Mausoléu de Kukai
Horário: sempre aberto
Preço: gratuito












4. Daimon-zaka (Kumano Kodo)

Trata-se de uma pequeníssima etapa de Kumano Kodo, uma rota de peregrinação com mais de 800 km que a UNESCO declarou Património da Humanidade. Todo o caminho se baseia na adoração primitiva da natureza e, enquanto subimos Daimon-zaka, uma escadaria de pedra que nos leva à maior cascata do Japão, não se pode senão contemplar em êxtase a atmosfera mística que nos rodeia. Para conhecer melhor o percurso, poderá ler aqui a nossa experiência pessoal.

Extensão: 1 km
Duração: 30 minutos
Categoria: linear
Início: Meitosugi (dois cedros chamados marido e mulher)
Fim: Kumano Nachi Taisha
Horário: sempre aberto
Preço: gratuito








5. Kamakura (perto de Tóquio)

Fizemos este trilho num dos últimos dias que passámos no Japão, quando já tínhamos visto imensas florestas, templos e santuários. Mesmo assim, surpreendeu-nos do princípio ao fim: seja pelas incríveis raízes das árvores; seja pelo chão coberto por pétalas de cerejeiras e camélias; seja pelos santuários inesperados que fomos encontrando ao longo do caminho; seja pelo facto do percurso terminar junto à estátua do Grande Buda, tão sereno como nós quando chegámos ao fim.

Extensão: 3 km
Duração: 1h30
Categoria: linear
Início: Templo Jochiji, em Kita-Kamakura
Fim: Daibutsu, o Grande Buda
Horário: sempre aberto
Preço: gratuito











Se tiver tempo e pernas, há uma outra caminhada imperdível no Japão: a subida ao Monte Fuji. Quer saber como é?

Veja ainda

10 comentários:

  1. Fotos lindíssimas e experiências fenomenais! Gostei muuuuuito!

    ResponderEliminar
  2. Paulo,este post é perfeito para mim... adoro caminhar e o Japão está muito na minha lista! :-) Obrigada pelas dicas!Os pormenores da extensão e duração dos percursos são sempre muito úteis no planeamento dos passeios... :-)

    ResponderEliminar
  3. Esta é sem dúvida uma maneira diferente de conhecer / apresentar o Japão. Parabéns pelas imagens. Estão lindasssss!

    ResponderEliminar
  4. O Japão é um destino lindo. Esta pequena amostra de 5 passeios mostra a variedade de escolha que temos num país tão moderno como tão tradicional. Está sem dúvida na minha lista de países a ir o mais rápido possível. Dos lugares da tua lista os meus preferidos e que vão directamenrte para a minha lista de locais a visitar são o santuário Fushimi Inari Taisha dedicado a Inari que é lindo e o Daimon-zaka que é impressionante. Obrigado.

    ResponderEliminar
  5. Amei este post. A cultura oriental me fascina! Adoro a culinária os templos a cultura e ensinamentos. Este vai pro meu arquivo pra quando for ao Japão.
    Parabéns

    ResponderEliminar
  6. Estive no Japão este ano. Apesar de não em ter encantado como outros países, o país surpreendeu-me pela positiva. Na Altura não fiz muitos treks mas daquilo que vi e fiz achei que havia potencial para o país ser explorado de forma mais activa. Este post é um bom exemplo disso. Parabéns.

    ResponderEliminar
  7. Não sou muito de caminhadas...não dá para fazer de bicicleta?? Ehehe :) Brincadeiras à parte, boas informações, obrigado!

    ResponderEliminar
  8. O Japão já está na lista, e espero que o consiga tirar de lá brevemente :) Parabéns pelas fotos e obrigada pelas dicas. Acho que me vão ser muito úteis :)

    ResponderEliminar
  9. Muito bom este post, com muita informação sobre estes trilhos no distante Japão. Anseio um dia poder conhecer este país do Oriente e este artigo vai ser util se quiser fazer umas atividades de natureza!

    ResponderEliminar
  10. O Japão, terra de meus ancestrais, é um lugar que eu realmente desejo conhecer. Como gosto muito de trilhas, se estiver em uma destas localidades, adoraria fazer algum destes passeios. Parabéns pelas fotos estão maravilhosas!

    ResponderEliminar