quinta-feira, setembro 17, 2015

O melhor da Gran Canária

A terceira maior ilha do arquipélago das Canárias é frequentemente promovida como “um continente em miniatura”, devido à existência de uma paisagem verdejante no norte, de grandes montanhas no centro e de um deserto no sul. Apesar desta diversidade, são as praias de areia branca e o sol que fazem da Gran Canaria um dos destinos de férias mais procurados do mundo. Daí haver uma infinidade de hotéis, resorts, restaurantes, lojas, discotecas e esplanadas. Como não é isso que procuramos quando viajamos, partimos à descoberta do mais que a ilha tinha para oferecer. Esta é a lista das coisas de que mais gostámos.

Agüimes



Ignorada pela maioria dos turistas, é para nós a localidade mais bonita da ilha, com um centro histórico perfeitamente restaurado, casas coloridas e estátuas espalhadas pelas ruas estreitas, surpreendendo-nos ao virar de cada esquina.

Dunas de Maspalomas



São uma extensa reserva natural, situada no sul da ilha, junto ao mar. É bom subi-las a pé, enquanto nos sentimos novamente crianças, rebolando e saltando de alegria na areia dourada.

Centro histórico de Las Palmas de Gran Canaria



A capital da ilha, Las Palmas, foi a primeira cidade fundada por Espanha no Atlântico e um ponto de paragem fulcral para as naus que rumavam à América. Devido à sua importância histórica, os bairros de Vegueta e Triana foram declarados pela UNESCO Património Mundial da Humanidade.

Casa-museu de Colombo



Cristovão Colombo parou em Las Palmas em três das quatro viagens que o levaram à descoberta do Novo Mundo. Além de documentar essas viagens e a importância do arquipélago durante a época de expansão espanhola no mundo, o edifício é um dos mais bonitos exemplares da arquitetura canária.

Cães em frente da Catedral de Santa Ana



Símbolo da ilha, as esculturas dos seis cães em frente da Catedral de Las Palmas recordam-nos uma das origens etimológicas mais prováveis da palavra “Canárias”: a terra dos “canes” (cães).

Escultura giratória de César Manrique



aqui dissemos que César Manrique é um dos artistas mais originais de Espanha. Além de ter deixado uma obra notável em Lanzarote, espalhou a sua arte pelas restantes ilhas do arquipélago, incluindo esta escultura giratória na praia de Las Canteras, uma enorme baía de areia dourada situada bem no coração de Las Palmas de Gran Canaria.

As senhoras de meia-idade a jogar às cartas na praia ao pôr-do-sol



O passeio marítimo ao longo da praia de Las Canteras está cheio de hotéis, restaurantes, bares e esplanadas. Ou seja, não há grande novidade. Surpreende, pois, encontrar senhoras de meia-idade a jogar às cartas no areal ao entardecer.

Museu Canário



Situa-se no bairro de Vegueta, na capital Las Palmas. Apesar de um pouco antiquado, é um museu fascinante sobre a história das ilhas canárias antes da conquista espanhola, em finais do séc. XV. Espere até ver a maior coleção do mundo de crânios Cro-Magnon, perfilados nas estantes dos armários. A foto é só uma amostra.

Vestígios dos primeiros habitantes da ilha



Pela ilha fora, não faltam vestígios arqueológicos dos aborígenas que aí viviam antes da chegada dos espanhóis. Dois dos mais espetaculares são o Cenobio de Valerón, um celeiro gigante onde guardavam os cereais (na foto) e o Museu e Parque Arqueológico Cueva Pintada, situado no centro histórico de Gáldar, cuja visita oferece uma viagem ao passado, com vídeos e reconstruções que explicam o modo de vida desses povos primitivos. Apesar de poder ser visto autonomamente, a visita guiada ao museu (90 minutos) é altamente recomendável.

Painéis do mercado de Gáldar



Uma vez em Gáldar para ver o Museu e Parque Arqueológico Cueva Pintada, vale a pena ir ao mercado municipal espreitar os bonitos murais do artista galdense Diego Higueras.

Puerto de Mogán



É uma povoação acolhedora, na costa sul da ilha, que se distingue das demais pelo seu bom gosto e charme. As casas brancas, entre canais de água salgada, são embelezadas por remates coloridos e buganvílias.

Tejeda



É um lugarejo sossegado e genuíno entre as montanhas centrais da ilha, com vista para o Roque Nublo, um grande pico rochoso, símbolo da Gran Canária. Com uma pastelaria famosa chamada "Dulceria Nublo Tejeda", é ideal para uma escapadela rural, longe do frenesim e do stress das zonas costeiras. Para aí chegar, é preciso atravessar uma paisagem de ravinas, onde se vendem sumos naturais e bananas à beira da estrada. Uma delícia!

Veja ainda

1 comentário:

  1. Agüimes parece simpático. Também gostei da foto das senhoras a jogar às cartas na praia.

    Para quem gosta de fiesta, parece que a ilha, além do Verão, é também muito procurada no Carnaval, nomeadamente pelos seus desfiles excêntricos e fogo-de-artifício na praia.

    ResponderEliminar