quarta-feira, maio 13, 2015

O Adeus à Linha do Tua

A barragem de Foz Tua começou a ser construída em 2011 e prevê-se que esteja concluída em Setembro de 2016. Decidimos, pois, fazer a caminhada que há tanto tempo planeáramos, nomeadamente o troço da desativada Linha do Tua entre o quilómetro três e a estação de São Lourenço (quilómetro dezasséis), precisamente aquele que será submerso pela barragem.

Uma vez que os primeiros três quilómetros da linha foram cortados pelas obras da EDP e a passagem é proibida, partimos da aldeia do Fiolhal, da qual se desce por um caminho de terra batida em direção à centenária linha do comboio.





Chegados ao quilómetro três, o percurso acompanha sempre o Tua, perfeitamente encaixado num vale longo e estreito, que não nos cansámos de contemplar. De travessa em travessa de madeira, avançámos lentamente, ouvindo o ruído do rio a correr: umas vezes mais agitado contra as rochas graníticas, outras mais sereno, quase parado.





De uma maneira geral, a linha ferroviária está bem mantida, não havendo silvas nem vegetação a tapá-la, apenas flores e giestas que lhe dão colorido e a tornam mais bonita nesta altura do ano.



Passámos por túneis, pontes metálicas, apeadeiros e estações abandonadas, e, no quilómetro treze, pelo que resta do teleférico artesanal sobre o rio que fazia a ligação entre a localidade de Amieiro e a estação de Santa Luzia.





Nessa altura, já íamos bastante cansados, debaixo de um sol inclemente. Ganhei, porém, novo fôlego ao pensar nos homens que, no final do séc. XIX, começaram a abrir aquela passagem nas rochas escarpadas para o comboio poder circular entre Foz-Tua e Bragança.

Além disso, não havia volta a dar: tínhamos de seguir em frente, como em tudo na vida.


Caraterização do percurso

  • Forma: linear
  • Partida: Povoação de Fiolhal
  • Chegada: Povoação de S. Lourenço
  • Dificuldade: baixa (o percurso é quase todo plano; a maior dificuldade é mesmo a sua grande extensão e a quantidade interminável de travessas)
  • Extensão: 15 km
  • Tempo médio: 6 horas




Recomendações

  • Nos dias de sol, o vale do Tua é muito quente e praticamente não há sombras ao longo da linha. É, pois, aconselhável começar a caminhada de manhã cedo e usar quer chapéu quer protetor solar;
  • Ao longo do trajeto, não há cafés nem qualquer local de abastecimento. Por esse motivo, é essencial levar água e mantimentos;
  • Convém não ir demasiado carregado e levar apenas o estritamente necessário;
  • Apesar de termos feito o trajeto desde o Fiolhal até S. Lourenço, este pode ser feito no sentido contrário. Há, no entanto, que estar preparado para uma subida bastante acentuada no final do percurso;






Onde dormimos

  • Hotel Casa do Tua, mesmo em frente da estação de Foz-Tua.

Onde comemos

  • Restaurante Calça Curta (mesmo ao lado do hotel): as doses são grandes, assim como os preços, mas nem sempre a qualidade lhes corresponde. Destaca-se o polvo, como petisco, que é delicioso, não ficando nada atrás do galego;
  • Restaurante Beira Rio: continua a ser o nosso preferido em Foz-Tua.







Fizemos esta caminhada no dia 2 de Maio de 2015, mas já tínhamos estado no Tua. Lembram-se? Aqui há mais pormenores sobre os nossos locais preferidos para comer e dormir, além de outras sugestões nas proximidades.

12 comentários:

  1. Infelizmente agora não tenho possibilidade de fazer este percurso, mas ficará na minha lista! De resto o artigo está muito bom, com excelentes fotografias como sempre!

    ResponderEliminar
  2. É um local lindíssimo, em miúda fiz a viagem de comboio, agora ficam as lembranças, obrigada pela bela recordação.

    ResponderEliminar
  3. Acho que já não vou a tempo... quando abre a barragem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo o site da EDP, "A conclusão da construção e consequente entrada em funcionamento deste aproveitamento está prevista para Setembro de 2016." Por outras palavras: ainda vai a tempo :) - de preferência num dia de sol no outono ou primavera.

      Eliminar
  4. Bom dia!! Muito bom e com fotos fantásticas!! Por acaso não me pode dizer como voltaram de São Lourenço para onde tinham o carro?!
    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro António, usámos a técnica do transporte dos condutores num só carro. Só possível quando há mais do que um carro disponível. Todos os passageiros são transportados para o ponto de partida, de seguida os carros são levados para o ponto de chegada, regressando os condutores em apenas um carro novamente ao ponto de partida. :)

      Eliminar
  5. Bom dia OBrigado fotos fantasticas

    ResponderEliminar
  6. Fantastico. Alguém sabe se ainda é possível fazer a caminhada?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá João. Parece que já não é possível, uma vez que a EDP terá fechado os túneis...

      Eliminar
    2. Olá Sofia. Excelente artigo, que faz crescer sede na boca... Estava a planear fazer este mesmo troço que relatam para a semana, mas este último comentário deixou-me de sobreaviso. Já não é possível caminhar pelos túneis, é isso? (Não consegui obter informação sobre isso em parte nenhuma.)

      Eliminar
    3. Olá Tiago, infelizmente parece que já não é possível caminhar pelos túneis. Poderá encontrar mais informações no site "A Linha é Tua" (http://alinhaetua.blogspot.pt/)ou telefonar para o hotel Casa do Tua, para ter a certeza.

      Eliminar